0

Lançamento do livro “De Volta aos Sonhos” da Bruna Vieira em Aracaju!

blog maia vox bruna vieira foto 1

Oooi gente! Tudo bem com vocês? Me desculpem não ter postado na semana passada, mas eu estava em época de provas e foi uma correria total. Porém hoje eu trago aqui um post muito feliz de ter feito: o lançamento do livro “De Volta aos Sonho da blogueira do Depois dos Quinze, Bruna Vieira! Ela esteve aqui em Aracaju no dia 19 (sexta-feira) para a alegria dos fãs sergipanos e agora vou contar um pouco do que aconteceu por lá.

Look do dia. Foto por: Carolina Morais.

Look do dia. Foto por: Carolina Morais.

Primeiro de tudo, na semana da vinda da mineirinha para cá, já havia muita gente enlouquecendo para poder garantir o ticket que daria a entrada na livraria Escariz para a sessão de autógrafos. O combinado era que a partir das 10h do dia 19 as pulseirinhas começariam a ser entregues. No entanto, seis horas da manhã já tinha gente no shopping! Os cinquenta primeiros além do lugar marcado, levaram um brinde para casa. As outras 250 pessoas teriam que chegar e guardar seus lugares para verem a blogueira.

grandes encontros

Bons encontros. De cima para baixo, da direita para a esquerda: Carolina Morais, Maju, Bia Carolina (StrelaTeen), Sthephany Vieira (DelineandoEstilo), Taciane Lima (ThisIsMeTrendy), Eu, Evelyn Alves, Rafaela Souza.

Enquanto isso, a Bruna chegava na cidade e foi super recepcionada por fãs no aeroporto, pela primeira vez em todas as divulgações dos livros Brasil à fora.  Mais tarde visitou a orla de Atalaia e tirou uma foto com uma escultura de caranguejo gigante. Ela disse que não esperava tanto amor da nossa cidade, mas se bem que foi a que mais votou para ter um lançamento desse último livro! E olha que falamos de um lugar um tanto quanto pequeno.

Lá pela tarde, a fila na frente da livraria começou a ser lotada. Eu cheguei às 14h30 e ainda consegui um bom lugar. Vi algumas blogueiras daqui, contei com a companhia de alguns amigos e conversei com fãs super ansiosas na fila. Por conta disso fiz até um vídeo breve para vocês terem uma ideia melhor do que foi aquele dia. Olha só!

Inscrevam-se no canal para acompanhar novos vídeos! 😉
Aqui (yt.com/BlogMaiaVox).

E depois de quase 5 horas na fila(!) chegou a minha vez de falar com a Bruna. Sabe, com o eu disse no vídeo ela é uma blogueira que admiro muito. Primeiro por todo esforço que ela fez/faz para crescer com o blog. Segundo por cativar e fazer tantas pessoas se identificarem com seus textos. Terceiro por ter tido a coragem de sair de uma cidadezinha do interior de Minas Gerais, Leopoldina, para morar sozinha com 17 anos em São Paulo. Tudo por um sonho. Por essas e outras que ela inspira tanta gente e foi isso que pude dizê-la.

Como o tempo era curto, acabei dando uma carta com toda essa explicação para a Bruna. Além disso, um coelhinho de pelúcia para doação (que era da minha amiga Caroline).

lançamento dvas aracaju blog maia vox 2

Então é isso pessoal! Fiquem antenados que os próximos posts estão cheio de novidades, ok? Vejo vocês depois. Até mais! 😉

Acompanhe o blog também pelas redes sociais!

FACEBOOK • TWITTER YOUTUBE • PINTEREST • FASHIOLISTA

0

Livro da vez: As vantagens de ser invisível

Dessa vez não vim escrever uma resenha, mas me senti na obrigação de mostrar a vocês um poema, que tirei do livro “As vantagens de ser invisível” (meu queridinho da hora *–*) de Stephen Chbosky. Pra quem conhece um pouco da história, esse poema é um bilhete suicida, que provavelmente, na minha opinião (ainda n terminei de ler o livro ok?!), é do melhor amigo de Charlie que suicidou-se.

Enfim… foi um dos melhores poemas que eu li. É triste, mas é muito bom e já fica a dica pra vocês adicionarem na lista de presentes “As vantagens de ser invisível”. Então, sem mais delongas, o poema:

“Em uma folha de papel amarelo com linhas verdes
ele escreveu um poema
E o intitulou “Chops”
porque era o nome de seu cão
E era o que estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e uma estrela dourada
E sua mãe o abraçou à porta da cozinha
e leu o poema para as tias
Era o ano em que o padre Tracy
levava todas as crianças ao zoológico
E ele deixou que cantassem no ônibus
E sua irmazinha tinha nascido
com unhas minúsculas e nenhum cabelo
E sua mãe e seu pai se beijavam tanto
E a garota da esquina mandou para ele
um cartão de Dia dos Namorados assinado com vários X
e ele teve de perguntar ao pai o que significava X
E seu pai deixou que ele dormisse na sua cama à noite
E era sempre lá que ele dormia
Em uma folha de papel de papel com linhas azuis
ele escreveu um poema
E o intitulou “Outono”
porque era o nome da estação
E era o que estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e o pediu para escrever com mais clareza
E sua mãe não o abraçou à porta da cozinha
por causa da pintura nova
E as crianças disseram a ele
que o padre Tracy fumava cigarros
E largava as guimbas no banco da igreja
E às vezes elas faziam buracos
Que era o ano de sua irmã usar óculos
com lentes grossas e armação preta
E a garota da esquina riu
quando ele pediu para ver Papai Noel
E os garotos perguntaram por que
a mãe e o pai se beijavam tanto
E seu pai não o cobria mais na cama à noite
E seu pai ficou furioso
quando ele chorou por isso.
Em um pedaço de papel de seu caderno
ele escreveu um poema
E o intitulou “Inocência: Uma Questão”
porque a questão era sobre uma garota
E isso estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e um olhar muito estranho
E sua mãe não o abraçou à porta da cozinha
porque ele nunca o mostrou a ela
Foi o primeiro ano depois da morte do padre Tracy
E ele esqueceu como terminava
o Creio em Deus Pai
E ele pegou a irmã
se agarrando na varanda dos fundos
E sua mãe e seu pai nunca se beijavam
nem mesmo conversavam
E a garota da esquina
usava maquiagem demais
O que fez ele tocir quando a beijou
mas ele a beijou mesmo assim
porque era a coisa certa a fazer
E às três da manhã ele se aninhou na cama
seu pai roncava alto
É por isso que no verso de uma folha de papel pardo
ele tentou outro poema
E o intitulou “Absolutamente Nada”
Porque era o que estava em toda parte
E ele se deu um A
e um corte em cada maldito pulso
E se encostou na porta do banheiro
porque nessa hora ele não pensou
que poderia alcançar a cozinha.”

É isso e até a próxima! :T

0

O ladrão de olhos: As aventuras de Peter Nimble

O nome acima é de um dois livros que li e citei aqui para estas férias. Hoje, vou contar brevemente sobre a história e minha opinião sobre ela.

Peter Nimble é um  órfão que vive em uma cidade portuária com o Sr. Seamus, o qual obriga o garoto roubar os pertences das pessoas do lugar. Mesmo cego o menino é o maior ladrão da cidade, mas Peter não  gosta nenhum pouco dessa vida e em um dos dias, ao fazer seu “trabalho”, depara-se com um caixeiro viajante e o rouba uma caixa misteriosa. Quando está em “casa”, Peter acaba descobrindo que dentro da caixa havia três pares de olhos e ao testar um deles é levado instantaneamente a um lugar fantasioso, onde conhece Sir Tode, um ser “diferente”, que vira seu amigo e é mandando junto ao mestre da ladroagem para uma missão de salvar um reino em perigo. Nessa viagem Peter acaba por responder várias perguntas do seu destino.

Pelo caminho até o tal reino, acontecem várias aventuras e cada fato desse vai se encaixando como um quebra-cabeça.  É difícil parar de ler. Sempre vem a ansiedade de saber o que vai acontecer.

Uma das lições levadas pelo livro é que as aparências enganam e que deve-se sempre conhecer toda a história antes de julgar algo ou alguém. Ao mesmo tempo leva a pensar qual futuro teria uma órfão e que o destino pode surpreender.

Gostei muito de ter lido e recomendo a todos, desde adolescentes a adultos que gostam de histórias de aventura e encantamento. Espero que eu tenha conseguido passar o quanto apreciei e… até mais! 😉