2

Playlist da vez: Véspera de feriado!

Olá pessoas! Tudo bem? Aposto que estão ansiosos pelo feriado que começa amanhã e só acaba lááá na segunda-feira, né? Por conta disso hoje é dia de playlist para começar a entrar no clima relax que vem por aí.

Dessa vez temos três nomes nacionais: Vanguart, Tiago Iorc e Marcelo D2, além do Imagine Dragons – mais uma vez por aqui – e do Phillip Phillips. Simbora?!

Meu Sol – Vanguart: Do último álbum da banda, o clipe dessa canção tem tudo a ver com feriado: viagem de verão entre amigos, num trailer e com direito a parada num lago, ao som de LP’s. Quem precisa de mais?

Sorte – Tiago Iorc e DeepLick:Meu amor você me da sorte na vida…” é um refrão que muuuita gente já cantarolou. Lançada em 1985 com Gal Costa e Caetano Veloso, essa música foi regravada pelo Tiago Iorc no fim de 2013. Para o clipe do brasiliense, vários fãs mandaram pequenos vídeos respondendo a pergunta “O que te dá sorte na vida?”. O resultado foi simplesmente lindo. *–*

Você Diz Que Amor Não Doi – Marcelo D2: Não me canso dessa! Lançada no último álbum do rapper, o clipe foi gravado em Luanda, capital da Angola, e as rimas da canção se mesclam muito bem com a cidade. Sério mesmo, é uma sintonia tão grande que deixou tudo fantástico.

Have You Ever Seen The Rain – Phillip Phillips: Essa foi uma das canções que o Phillip P. cantou num dos episódios do American Idol 11, originalmente da década de 70 do Creedence Clearwater Revival. Essa é uma daquelas canções que quando eu era menor já tinha escutado, mas mal sabia a letra, quanto mais o nome kkk. Adorei encontra-lá.

Working Man – Imagine Dragons: E para terminar com chave de ouro, uma das minhas bandas favoritas.

E aí, pessoal, gostaram das músicas? Bom feriadão e até mais! ;)

Fiquem ligadinhos nas redes sociais do blog!

FACEBOOK • TWITTER • PINTEREST • FASHIOLISTA

2

Transição capilar: as blogueiras que me influenciaram!

Ooooi gente! Como vocês estão?

No post de hoje eu vim mostrar para vocês algumas das blogueiras que me influenciaram a entrar na transição capilar e a cuidar dos cabelos nessa etapa. Ao todo são quatro meninas que compartilham sua trajetória cacheada.

As quatro blogueiras: 1 - Letícia Moraes; 2 - Brenda Lima; 3 - Maraísa Fidelis; 4 - Rayza Nicácio (da esquerda para direita, de cima para baixo)

As quatro blogueiras: 1 – Letícia Moraes; 2 – Brenda Lima; 3 – Maraísa Fidelis; 4 – Rayza Nicácio (da esquerda para direita, de cima para baixo)

Iniciando pela Letícia Moraes, do Uma Garota Brasileira, foi lendo os textos dela que comecei a me aventurar nesse universo capilar. Aprendi tantas coisas! Desde como se comporta a estrutura dos fios de cabelo a como disfarçar a diferença de texturas na transição. Foi lá também meu ponto de partida para o cronograma capilar (vou explicar tudo num outro post), o começo da mania de sair lendo os rótulos dos shampoos e a invasão na cozinha só para melhorar a saúde dos cabelos.

Já a Brenda Lima, do About Brenda Lima, me mostrou a liberdade de usar os cabelos naturais. Acompanho ela mais ou menos desde o início de sua transição e nos momentos mais complicados que passo, é lá que encontro apoio nas palavras de quem já teve dificuldades parecidas. Estou louca para que meu cabelo atinja o mesmo tamanho que o dela! *–*

Com a Maraísa, do Beleza Interior, me espelho bastante na vontade, coragem e postura para sair pelas ruas com meus cachos – ainda na base dos coquinhos, mas meus. Ela acabou fazendo o Big Chop (Grande Corte) com poucos meses de raiz cacheada. Isso a deixou bem insegura no começo, porém ela decidiu abusar dos acessórios para compensar o comprimento curtíssimo. Não tenho a coragem de cortar tudo alisado agora, nos meus quatro meses de transição, mas pelo menos já sei onde me inspirar quando essa fase chegar.

Não menos importante – meeeesmo – tem a Rayza Nicácio. Com certeza você já deve ter visto ela num de seus vídeos no canal do youtube da moça, que por sinal tem de tudo! Penteados, dicas de produtos, técnicas para os cachos, maquiagem… Apesar de não ter passado pela transição como as outras três blogueiras, a Rayza já teve problemas em aceitar seu cabelo cacheado quando mais nova e hoje é super defensora de que todos soltem os cachos, e quanto mais volume melhor. Ah, pelo quadro “Íntimas da Ray”, dá para conhecer a história de muitas outras pessoas que resolveram não mais esconder os espirais e ondas naturais lá no blog dela.

E essas quatro blogueiras continuam me influenciando, me ajudando a prosseguir com toda a história da transição. Não deixem de dar uma visitada no blog delas. Aposto que vão gostar! Ah, logo trarei umas surpresas sobre a séries de postagens da minha transição! Até mais e fiquem atentos! ;)

Fiquem ligadinhos nas redes sociais do blog!

FACEBOOK • TWITTER • PINTEREST • FASHIOLISTA

0

Transição capilar: como começou?

Oooi galera! Vim hoje aqui para falar de uma das decisões que tomei do fim ano passado para cá e que por sinal vem me fazendo muito bem: a transição capilar. É por isso que eu vim compartilhar com vocês a minha história até o momento nesse processo. Já são um pouco mais de três meses e eu já tenho muita coisa para compartilhar com vocês. Então, confiram o post a seguir! ;)

lalala

Primeiro mês de transição!

Bem, para quem não sabe, a transição capilar é o período em que o cabelo fica com duas texturas diferentes, a natural e a lisada, por que a gente decide parar com os alisamentos químicos, por exemplo. No meu caso, como os de outras muuuuitas pessoas, eu alisava meu cabelo desde muito nova. A praticidade era a maior desculpa. Quanto mais eu crescia, mais  eu me rejeitava e uma das coisas que me fazia me sentir tão mal assim em relação à aparência era o cabelo. Via as outras meninas com cabelo liso e o meu, mesmo alisado, que nunca ficava da mesma forma.

Com 12 anos tive que fazer um dos piores cortes químicos que passei, ou seja, por conta de um alisamento mal feito meu cabelo ficou estragado e precisei cortar. Meu cabelo ficou mais ou menos na altura da orelha. Não me assustou muito, já que eu nunca conseguia ficar com ele grande porque sempre quebrava antes, mas aquilo me afastou do meu sonho de ter um cabelo liso e grande.

circle glasses 4.1

Segundo mês de transição.

Essa também não é a primeira vez que tento a transição capilar. Lembro que com treze anos tive minha primeira iniciativa, mas na época não existia tanta gente compartilhando sua jornada como hoje, melhor: eu nem sabia que nome dar para isso e além disso, por ser muito nova, não aguentei ouvir uma das minhas tias falar o tempo todo que o melhor era alisar. Por fim fiz o que ela repetia e continuei insatisfeita. Foi aí que as coisas começaram a piorar. Eu tardava o máximo possível cada aplicação do produto, guanidina na época, porque meu caro cabeludo ardia muuuito e meu cabelo era bastante resistente à química, portanto a aplicação demorava demais.

Foi assim até os quinze, quando chorei muuuito da última vez que usei a tal da guanidina. Minha mãe e eu resolvemos procurar outra alternativa. Achamos a escova marroquina. Usei umas quatro vezes e até que meu cabelo deu uma melhorada e começou a crescer, só que descobrimos que na fórmula havia formol e isso é uma coisa que a gente sempre fugiu, por conta do efeito acumulativo que ele tem sobre nós, o que pode causar doenças sérias num futuro próximo. Daí eu teria que mudar para outro alisamento, mas não sabíamos de nada novo que eu pudesse usar. Junto a isso, eu já estava cansada da rotina de chapinha, o constrangimento nos dias de piscina, do cabelo fraco e, principalmente, por não me gostar com aquele cabelo. Foi aí que eu dei um basta e comecei. Dia 26 de novembro. O último alisamento. Já estou indo para o quarto mês e venho aprendendo bastante coisas.

IMG-20140125-WA0007_20140125212420897

Terceiro mês de transição.

Uma delas, assistindo e lendo muuuuita coisa pela internet, foi o cronograma capilar. Agora eu venho cuidando mais do meu cabelo por conseguir enxergar o que ele precisa. E nem gasto muito! Existem bons produtos com preços bastante acessíveis. (Depois faço um post contando quais são os que estou testando.) Além disso faço todo santo dia texturização com coquinhos – também chamado de bantu knot pelas meninas estadunidenses. Sei que quando eu era pequena usava que só. Era até moda kkkkk. O efeito deles é maravilhoso para lidar com as texturas de cabelo diferentes.

Mas sabe o que eu venho aprendendo de mais importante? É a dar importância a mim e a minha opinião muito mais do que os comentários descabidos das pessoas. Tem gente que me olha com cara feia por ser diferente, mas isso é uma coisa que eu sempre tive que lidar e mais do que nunca estou aproveitando esse momento da transição para me conhecer melhor e me tornar  mais feliz e forte. É bom acordar, se olhar no espelho e gostar do que vê. Não sentir medo de sair como quiser. E olha, mais do que comentários negativos venho recebendo muitos elogios e apoio dos amigos e familiares mais próximos.

transição capilar tres meses

Bem, meus planos por agora são aprender mais cuidados com o cabelo, entender como o meu se comporta e partir para o big chop – que significa grande corte, ou seja, quando retiramos tooooda a química restante – no meio do ano. Ia esperar até novembro, mas os poucos cachinhos que vejo me animaram e eu acabei adiantando a decisão. E para vocês meninas e meninos que estão na transição: força, foco e fé. Sério, lembre disso todos os dias, o porquê de vocês estarem fazendo isso. Felicidade nunca é demais!

Então é isso! Espero que tenham curtido e se tiverem qualquer dica, dúvida ou quiserem compartilhar a história de vocês fiquem suuuuper à vontade. Vou adorar saber!!! Ah, podem se preparar que ainda vem muito papo sobre a minha transição capilar por aqui. Beijos! ;)

0

6 on 6 Fev/14 + Mar/14: “Preto e branco” e “Cores”!

Hey, pessoal! Tudo bem com vocês? Dei uma enrolada em vocês nessa semana, mas tudo foi por conta da correria que tive. Eu sei, já tá virando desculpinha, porém não estou mais deixando de postar aqui. Relevem, por favor.

Bem, quem acompanha o twitter do blog (@maiavoxwp – acompanhe tbm!) viu que eu avisei que o post do projeto de fotos 6 on 6 desse mês estava quase pronto, no qual eu e mais seis blogueiras postamos seis fotos por mês (que deveriam ser no dia 6). Também contei a vocês que iria juntar o tema dos dois últimos meses nesse post, o “Preto e branco” de fevereiro e o “Cores” desse agora.

Com vocês, projeto 6 on 6!

Aviary Photo_130393841408451176PicsArt_07_03_2014_14_30_35[1]PicsArt_07_03_2014_12_30_19[1]Aviary_Photo_130387415484081460[1]Aviary_Photo_130386874057921955[1]Aviary_Photo_130386872049605177[1]

O que acharam? Confiram os dos outros meses (6on6) e os das outras blogueiras que participam comigo: MelissaPaulineMilenaÉrika e Bia. Beijocas e até mais! ;)

0

Playlist da vez: Bastille, A Great Big World, Arctic Monkeys…!

OOOOOIIII! Vacilei com vocês nesse feriadão de carnaval, né?! I’m sorry! Mas para me redimir (uma vez mais) trouxe uma playlist que acho que vocês vão curtir. Todas as músicas de hoje estão me acompanhado há mais de uma semana – com o replay clicado eternamente. Então, já é mais que do que hora de vocês conferirem! Simbora. ;)

Flaws – Bastille: com certeza foi a que mais cantei. Lembro que antes da semana passada, já tinha visto o clipe na tevê e adorei a ligação dele com a letra da música (defeitos – caveinhas…), porque não é muito difícil de a gente encontrar clipes sem ligação alguma com as músicas.

Say Something – A Great Big World: É bem capaz de você té-la ouvido ultimamente, já que estorou nos últimos dias. Tem até um cover muito bom do Pentatonix que vale a pena ver e ouvir.

Another Love – Tom Odell: Ok, vocês podem reclamar que ainda estamos saindo do carnaval e eu apareço com mais uma música tão calminha e com uma letra um tanto melancólica, mas garanto que vocês vão curtir conhecer o Tom Odell e ainda por cima cantarão o refrão até sem sentir.

Tightrope – Walk The Moon: Depois de ouvir “Anna Sun” sem parar, outra música do Walk The Moon, resolvi que era hora de conhecer outras do grupo. Tá aí! E ah, é super animada!

Brainstorm – Arctic Monkeys: velhinha, mas que faz a gente se divertir com mais e mais músicas da banda sem notar.

Q.U.E.E.N. – Janelle Monaé: Para fechar com chave de ouro uma canção contagiante, futuristica, vintage. Mas não apenas isso, Janelle Monaé não é só isso. You”ll be like “Ooh, she serving face”. Deem uma lida na letra depois e vocês vão entender o que quero dizer.

E são essas as músicas da vez. Vão colocar para tocar durante esses dias? Contem! Beijos e até mais! ;)

Fiquem ligadinhos nas redes sociais do blog!

FACEBOOK • TWITTER • PINTEREST • FASHIOLISTA

5

Estou de voltaaa!

Oooooi gente!!! Quanto tempo que não escrevo aqui! Quase um mês! Foi mau, mas eu andava/ando muito ocupada com as coisas do colégio, principalmente com a robótica.

Reprodução: Fan Page Torneio de Robotica FLL (foto por:José Paulo Lacerda)

Tem dois dias que eu e meus amigos da RobôCoe e TechCOE voltamos do Torneio Nacional de Robótica FLL. Ainda estou super cansada, mas valeu a pena todo o esforço que eu e as duas equipes fizemos para dar o nosso melhor lá em Brasília. Foi super divertido! A gente pode até rever algumas equipes que conhecemos no regional em Salvador.

Enfim, já que estou de volta e terei uma folguinha dos treinos para estudar, vou poder aparecer mais aqui. Tem o projeto 6on6 desse mês para postar, mas que vou publicar junto com o do próximo, e ainda tenho que contar tudo que venho passando por esses três meses de transição capilar.

Ah, quem vêm acompanhando o blog sabe que eu queria dar a ele um domínio próprio (.com), porém eu pensei mais sobre isso e acho que não é a hora por enquanto.

Então é isso! Um resuminho do que aconteceu e o que acontecerá por aqui. Até mais! ;)

Fiquem ligadinhos nas redes sociais do blog!

FACEBOOK • TWITTER • PINTEREST • FASHIOLISTA

2

Resolvi ser eu!

Para começar o mês com o pé direito, lá vem um texto:

Resolvi ser eu. Resolvi me aceitar. Resolvi não seguir insegura. Resolvi parar de mentir para mim. Resolvi lutar para me encontrar. Resolvi admitir meus erros. Resolvi parar de ser uma imitação barata de uma celebridade. Resolvi ser rica de mim. Resolvi meus cachos mostrar. Resolvi ser eu. Resolvi me amar.

                                                                                                                           Mariana Gomes