0

Maia Vox TV: Hierarquização dos tipos de cabelo e frustração!

Oi, gente, tudo bem com vocês? Eu espero que sim!

É com muita alegria que apresento hoje para vocês o primeiro vídeo da série (Des)Enrolando, que foi pensada para avançar no tema empoderamento através da estética, algo que tanto converso com vocês por aqui.

capa desenrolando 1

Continuar lendo

Anúncios
0

#celebrar11: Encontro de Crespxs e Cacheadxs de Aracaju!

Oi, gente! Tudo bem com vocês? Eu espero que sim! 😉

Por motivos mais que especiais o blog começa esta semana celebrando o Encontro de Crespxs e Cacheadxs de Aracaju, que aconteceu no último domingo na Praça da Sementeira. ❤

foto 13

Confira aqui a sessão de posts “Celebrar”.

O tema dessa edição do encontro foi “AFROntando o Racismo”, em que se discutiu não só a jornada capilar de cada participante do evento, mas também como suas experiências se relacionavam com o racismo. A oportunidade ainda serviu para conversar sobre estratégias de luta contra esse problema social.

Leia aqui todos os textos sobre Racismo no blog!

foto 2foto 4foto 1

Para completar ainda teve afroempreendedorismo, feirinha de trocas, contos africanos, oficina de turbantes e bastante música.

Ah, os looks dos participantes foram um show a parte! Da raiz do cabelo às pontas dos pés tudo ali representava aceitação e identidade. Parecia que eu estava num festival de música como o AfroPunk!

Já conhece o AfroPunk? Ele não é apenas um festival, mas também um movimento. Clique aqui e leia o post no blog!

Clique sobre as fotos para vê-las ampliadas.

Essa foi a primeira vez que fui a um encontro do tipo. Saí de lá ultra renovada e fortalecida. Espaços como esses são preciosos, porque amplificam a voz de quem muitas vezes é silenciadx. Por isso, recomendo a quem nunca foi a um evento assim, participe!

Clique sobre as fotos para vê-las ampliadas.

Procure saber de coletivos em sua cidade que organizam esses momentos. Grupos nas redes sociais, como o Crespxs e Cacheadxs de Aracaju, são um bom começo. E se não tiver, por que não juntar uma galera e fazer um movimento assim? Pode ter certeza de que o tombamento vai ser forte!

E aí, o que achou? Já foi a algum encontro desses? Por sinal, você aí estava lá nesse último domingo? Deixe nos comentários! Também acompanhe o blog pelas redes sociais e compartilhe o post com xs amigxs! Um super abraço e até mais! 😉

              FACEBOOK| INSTAGRAM | INSTAGRAM 
                 TWITTER | PINTEREST | YOUTUBE 

quem sou mari gomes autor

0

Vamos comemorar: Playlist de 1 ano de cabelo natural!!!

Oi, gente! Tudo bem?

lets party capa

Escrevo esse post extremamente feliz. A razão é que já se passou um ano inteirinho desde o big chop! Para aqueles que não sabem o que é ainda estão mais do que convidados a lerem a série sobre a de transição capilar bem aqui, mas adiantando “big chop” é um termo em inglês para o “grande corte” em remoção de toda química do cabelo.

Cabelos-cacheados-gif-como-cuidar

A maior lição tirada por mim dessa jornada é a de que não há nada que feito com carinho e dedicação que não se realize. Para isso precisamos de sinceridade, estudo e foco. Sinceridade para olharmos sem medo a situação atual e como queremos estar; estudo para não seguirmos por atalhos muitas vezes de arrependimento e foco para alcançar e continuarmos com as realizações.

Let's dance!

Let’s dance bae!

Em comemoração a um ano de cabelos totalmente livres, leves e soltos preparei uma playlist! Espero que ela, além de abrilhantar o cotidiano de cada um, também passe as melhores mensagens possíveis. 😉

“O Que Você Quer Saber de Verdade” – Marisa Monte

“Cores” – AnaVitória

“Best Be Believing” – AlunaGeorge

“Felling Myself” – Nicki Minaj ft. Beyoncé

“FourFiveSeconds” – Rihanna ft. Kanye West, Paul McCartney

"I'm feeling myself, feeling myself, I'm felling my..."

“I’m feeling myself, feeling myself, I’m felling my…”

Por hoje é só, mas não se preocupe que mais já está em preparo! Em breve sairá o vídeo em que falarei sobre o resultado das box braids – ou tranças rastafári – e alguns cuidados com os cachos. Abraços e até mais!

Acompanhe o blog também pelas redes sociais!

FACEBOOK • TWITTER • INSTAGRAM • YOUTUBE • PINTEREST • FASHIOLISTA

 quem sou mari gomes autor

12

Mais mudanças no cabelo: Box braids!

A cada segundo que se passa já não somos os mesmo de antes. De tempos em tempos, é fácil perceber isso. Por exemplo, trocamos o velho e bom sorvete de chocolate pelo exótico cupuaçu. Ou deixamos de andar na mesma calçada e passamos para a outra. E assim, de mudança em mudança, a gente descobre mais do mundo e de nós mesmos.

Mudanças durante 2014.

Mudanças durante 2014.

Para quem acompanhou o blog no ano passado, viu que a minha maior transformação se mostrou pelos cabelos. O antigo alisado deu lugar ao crespíssimo. Deu o que falar, tanto que muitos foram muitos os posts – e ainda devo alguns a vocês.

Confira alguns dos posts:
  Transição capilar: como começou?
  Transição capilar: As blogueiras que m e influenciaram!
  Transição capilar: 6 meses e identidade que se revela!
  Transição capilar: As frases mais absurdas que ouvimos nesse período!

Entretanto, senti nos últimos dois meses urgência em provar coisas novas. E o alvo da vez não podia foi diferente do último.

Trancei. Virei Rapunzel. Com direito a mechas douradas, no melhor estilo Queen B e Rihanna. #ShineBrightLikeADiamond.

Um dos motivos é que eu sonho com esse penteado desde criança. Outro foi a curiosidade. Queria saber como era ter os cabelos longos, pelas costas. Daí, semana vai, semana vem, salvei vááárias fotos e no começo de janeiro tudo aconteceu.

box braids post

Para quem ainda não sabe, as tranças que escolhi são as Box Braids, em que divide-se o cabelo em quadradinhos, onde cada mecha parece uma caixinha. Antes de fazer a arte, pesquisei um pouco sobre e descobri outros tipos de penteados. Tem o Marley twist, os bantu knots ( ou coquinhos), waves, twist out e mais alguns trançados. Sabe o que eles tem em comum? São todos protective styles. Calma, não precisa se aperriar que eu já explico esse nome.

IMG_20150124_111720

Meu visual atual.

O negócio é o seguinte: protective styles são penteados que procuram preservar os nossos cabelos. Eles podem durar dias, semanas ou até meses e assim evitam o puxar, o penter e o escovar dos cabelos, que muito danificam os fios. Depois de eu saber disso, corri para achar alguém que trançasse direitinho e mudasse o meu visual. Escolhi então um dia e passei todo ele com a bunda colada na cadeira, mas ao final eu era a mais nova Rapunzel da área kkk.

Se eu estranhei? Sim, com certeza, não duvide. Principalmente quando voltei pra casa. Mas foi bom. A ideia de conhecer novas coisas foi bem sucedida. Agora é só a alegria. Acordar mais cedo pra pentear a cabeleira? Nem rola. Já acordo pronta! Gente, é pronta, sem corrida contra o relógio! M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O. Posso dizer que diminuiu em 95% os bad hair days.

E sobre o que as pessoas acharam? Bem, umas gostaram, já outras perguntaram se era revolta. Enfim, só sei que vou feliz da vida da padaria até a festa chique, ostentando minhas tranças de ouro (ou quase disso hahaha :3). E ah, inventar penteados torna a brincadeira mais interessante.

O primeiro que tentei fazer, logo no primeiro dia, foi um coque. Fica lindo de tanto volume que tem. Hoje, já acostumada, peguei as manhas pra me livrar do calor e mais que tudo: se eu já dava valor aos grampos de cabelo, percebi a genialidade da coisa.

Mas e aí? Doeu pra fazer? Quanto custou? Como se deve cuidar? Eu poderia responder isso ainda nesse post, mas ficaria cansativo. Então, próxima semana sai “Box braids: o que, como e onde?”, combinado?! Mas até lá vocês terão posts novo. Amanhã mesmo têm dicas pra arrasarem no carnaval. Não percam! Super beijos e até mais! 😉

Acompanhe o blog também pelas redes sociais!

FACEBOOK • TWITTER YOUTUBE • PINTEREST • FASHIOLISTA

quem sou mari gomes autor

2

Novidade do mês: série “1 ano voltando aos cachos”!

Oi, galera! Tudo bem? 😉

capa yt novembro crespo

Nesse mês de novembro (dia 26) vou completar 1 ano desde a decisão que tive de voltar aos cachos! Vocês puderam acompanhar um pouco desse caminho por meio de posts aqui no blog. Porém, numa data tão especial, algo de especial deveria ser feito. Então me bateu a ideia da série “1 ano voltando aos cachos”!

Posts de transição capilar aqui!

 Vai rolar de tudo um pouco. Desde dicas para passar pela transição capilar até a história do que mudou totalmente pelo meio do caminho. No vídeo abaixo dá pra entender melhor o que vem por aí. Bora ver?!

E aí? Ansiosos! Porque eu estou louca pra conversar com vocês!

Se tiverem alguma sugestão ou curiosidade, fiquem super à vontade para deixar nos comentários. Vejo vocês depois! 😉

Acompanhe o blog também pelas redes sociais!

FACEBOOK • TWITTER YOUTUBE • PINTEREST • FASHIOLISTA

8

Cronograma capilar: o que é e como fazer?

cronograma capa yt

Oiii gente! Dei uma sumida, né verdade? Desculpem-me, mas já devem ter percebido que a pessoa aqui dá uma surtada com os horários de tempos em tempos.

No entanto, adivinhem só o que eu fiz para essa volta? Gravei o tão esperado vídeo sobre o “Cronograma Capilar”! Foi ótimo para atualizar o canal “Maia Vox TV” (Visite aqui!), sem contar que aprendi mais umas coisinhas em edição de vídeo e é claro, compartilhei com vocês o pouco que sei sobre cuidados com nossos cabelos.

No vídeo a seguir, eu explico cada etapa do cronograma, da hidratação a reconstrução, mostro alguns dos produtos que utilizo desde a transição capilar e ainda funcionam após o Big Chop (veja o que é aqui!) e o melhor de tudo é que dá pra provar que não é preciso gastar muita grana para ter cabelos saudáveis!

Qualquer dúvida ou sugestão é só comentar. Se curtirem, dêem aquele velho e bom “gostei” e inscrevam-se lá no “Maia Vox TV” para não perderem as próximas conversas, combinado? Então, bora apertar o play!

 

Olha, aqui tenho para vocês uma tabelinha do cronograma que se encaixa nas mais diversas rotinas que cada um adota. Ela é lá do blog “Uma Garota Brasileira”, da Letícia Moraes (conheçam ela aqui!). Eu não sei o que teve com ele, porque me parece que está fora do ar, o que é uma pena, já que foi lá que entrei no mundo dos cabelos bem cuidados. :/ De qualquer forma, repasso a tabela para vocês! 😉

C

Ah, essa outra aqui é uma com alguns produtos que podem ser aplicados em cada fase do cronograma! (Não achei a origem, mas se alguém o souber, por favor me avise para que eu possa dar os devidos créditos. ;))

575680_517074785025616_1258640176_n

E por hoje é isso! Vou com o passar do tempo liberando os vídeos no mesmo dia em que gravá-los (nem imaginam quantos problemas tive para postar esse agora kkk) e… até mais! Beijocas fieis escudeiros! :*

Acompanhe o blog também pelas redes sociais!

FACEBOOK • TWITTER YOUTUBE • PINTEREST • FASHIOLISTA

20

Transição capilar: As frases mais absurdas que ouvimos nesse período!

Hey pessoal! Hoje, 26 de junho de 2014, eu completo 7 meses de transição capilar! Antes de mais nada eu quero dizer que escrever essa série de posts (confira inteira aqui) está sendo incrível e ver que vocês estão gostando de verdade é muito motivador. E para comemorar essa data, que eu há tanto espero para tomar decisões importantes na transição, reuni as frases mais absurdas e chatas que quem está nesse período escuta. Vamos lá!

banner maia vox transição 7m

Imagem: Mari Gomes

  • “Nossa, o que aconteceu com você? Antes você se cuidava mais.”: Uma das coisas mais complicadas da transição é aprender a lidar com duas texturas de cabelo totalmente diferentes, cada um com suas necessidades. Então é teste de hidratação pra cá, de texturização pra lá… E nem sempre o resultado sai como imaginamos, os chamados bad hair days. Aí, você cria coragem, sai na rua tranquilx e vem alguém para falar isso. Haja santa paciência! Sem contar os dias em que você ama o resultado e chega um infeliz com isso. Nessas horas não existe calma para tanta ignorância…  ¬_¬
  • “Aproveita. Cabelo cacheado tá na moda, né?”: Não, meu bem, não está. Isso sou quem eu sou. Minha identidade. O fato de eu usar ele assim passa da pura estética. É um ato político. Estou dizendo não ao padrão caucasiano, o qual não me pertence. Estou dizendo que não vou  me submeter a ações, que muitas vezes machucam meu corpo, para tentar me encaixar num modelo impossível de beleza. Estou dizendo não às falsas “homenagens” de grifes nas passarelas, que no fim só ridicularizam meu cabelo, quem eu sou. E estou feliz, se quer saber. Passar bem.
  • “Mas se você fizer babyliss ficaria mais bonito.”: Isso vem no meio daquele papo furado, quando um ser chega e começa a dizer que existem cachos mais bonitos que outros. “Não, porque o de fulana da novela é lindo, mas o daquela menina que a gente viu na rua, era muito mal cuidado. Aqueles cachos minúsculos…” E geralmente é assim: quanto menor, mais feio. O que fazer numa situação dessas? Respirar fundo e soltar uma resposta que faça que esse sem-noção se tocar que bonito é o que cada um tem naturalmente e se sente bem quando se reconhece.
  • “Tá linda! Parece a globeleza!”: Já ouvi isso, da mesma pessoa, mais de uma vez e foi bem complicado. Só fechei a cara na ocasião. Me arrependi. Queria ter explicado o quão infeliz foi esse comentário. Mas aqui faço a minha retratação. Vamos lá. Para muitos recebi um elogio. Afinal, qual a mulher não gostaria de ser comparada com uma “musa do carnaval”? O problema é todo o perfil sexualizado da mulher negra que está por trás dessa frase, que parece ser tão inofensiva. Porque quando aparece na mídia, ela (a mulher negra) só preenche dois papeis: ou de empregada na casa de gente rica e branca ou no ideal de “mulata tipo exportação”. E a globeleza se encaixa perfeitamente no segundo caso. Ser comparada a essa personagem na verdade me forçou a ser colocada num desses dois lugares que citei. Mas eu sou muito mais que isso. Eu posso muito mais que isso. Eu sonho com muito mais do que isso.  Inclusive com o dia em que eu for vista além desses dois ambiente, que me empurram goela abaixo há séculos.

Tem alguns textos muito bons que vocês podem ler para ficar mais por dentro do que acabei de comentar lá no Blogueiras Negras. 😉

Deixar de ser racista, meu amor, não é comer uma mulata!
O padrão de beleza negra ideal
Sobre alisamento capilar, racismo e liberdade
  • “Vai mesmo sair com esse cabelo pra cima?” Vou sim! Nunca me senti tão livre, leve e feliz como agora! Não vou deixar de correr pelas ruas alegre como eu estou por conta de gente que não consegue ver que cada um tem sua beleza e ela faz parte da identidade de cada indivíduo. Beijos, fui! 😉
  • “Olha, cabelo cacheado/crespo não é para festa.” Essa é uma frase que muitas vezes vem de alguém próximo à nós, como familiares e amigos. “Eu até aceito andar com você com seu black, mas não me invente de ir na formatura de fulano assim!” É claro que vindo dessas pessoas, que confiamos, sempre deixa um clima de insegurança no ar. Mas sabe de uma? Você é lindx de qualquer jeito! Se não tiver muito à vontade para sair com todo o seu volume, vale a pena fazer um penteado bem legal. Afinal, todo cabelo é passível de penteados! Não deixem que te joguem na neura que vai estar feio para os outros. Antes de tudo você tem que sentir-se belo, para você mesmo, e acreditar que é! Quando isso acontece, a segurança raramente desaparece. 😉

E esses foram algum dos absurdos que eu já ouvi e sei que muita gente também quando resolveu soltar suas molinhas. Mas não se encabule não, galera! Nem a opinião dos outros, nem se encaixar num padrão são precisos pra ser feliz. 😉 Ah, para o próximo post da série, estou pensando em falar de cronograma capilar, o que acham? E não deixem de contar se passaram por um aperto desses, ok?! Um beijo e força na peruca kkk. 😉